sexta-feira, 1 de março de 2019

Cristão participa do carnaval?


O que representa o Carnaval para o Cristão?



Ao iniciarmos essa reflexão gostaríamos de deixar claro que por “cristão”, entendemos aquela pessoa que teve um encontro verdadeiro com Cristo e que “nasceu de novo” segundo os padrões bíblicos.
Para essa pessoa, que deseja permanentemente ter intimidade com Deus necessário se faz, que abandone todo envolvimento com aquilo que possa impedir que essa aproximação se efetive.
O apóstolo Paulo nos ensina que é impossível haver comunhão entre luz e trevas (2Co 6.14).
No Antigo Testamento, Deus diz ao povo que pelo fato dEle ser Santo, haveria a necessidade de que o povo também o fosse (Lv 11.45).
Em Dt 20.16-18, Deus ordenou ao povo hebreu que destruísse todo ser vivente das nações que eles haveriam de conquistar.
Qual seria a intenção de Deus ao ordenar essa matança generalizada? Logo Ele que é a personificação do amor!

Com essa atitude Deus queria:
1)    Mostrar Sua justiça diante de um povo pecador.
Povo dado a toda espécie de promiscuidade sexual e moral; que mantinha prostitutas rituais dentro dos templos de seus deuses; que eram dados à idolatria e aos sacrifícios humanos e que chegavam ao ponto de, muitas vezes, oferecerem os próprios filhos a Moloque (Lv 18.21) e cujos atos nada que fosse útil poderia ser ensinado ao povo de Deus.
2)    Demonstrar Sua indignação diante do pecado, cujo salário é a morte (Gn 2.17 e Rm 6.23).
3)    Poupar o povo hebreu de pecar como acontecia àquelas nações e que através de sua separação poderia cumprir a missão messiânica que faria dele uma nação sacerdotal e uma bênção para todas as nações da terra.
O povo de Deus deve – em todos os tempos – ser santo, mas especialmente naquela época deveria não apenas ser diferente, mas também separado de todos os outros povos, a fim de pertencer exclusivamente a Deus (Ex 19.5).
Uma das razões pela qual Deus castigou o Seu povo com os cativeiros (Assíria e Babilônia) foi por causa de seu obstinado apego à idolatria e ao modo pecaminoso de vida dos povos vizinhos.
Em Josué 23.12,13 e Números 33.51-55 Deus disse ao povo que se eles se desviassem dEle e fizessem aliança ou se misturassem com aquelas nações, Ele não mais os expulsaria do meio de Israel, mas que eles (esses estrangeiros) seriam por laço e rede para o povo de Deus.
João nos adverte que se amarmos o mundo e as coisas que nele estão o amor de Deus não estará em nós (1 Jo 2.15,16).
Em Mt 5.13-18 Jesus nos ensina que somos Sal da terra e luz do mundo e é necessário  que através de nossas obras todos venham a glorificar a Deus.
Em Efésios 4.17-5.22, Paulo nos ensina como devemos nos comportar diante dos costumes gentios e como devemos nos afastar do pecado para nos aproximarmos de Deus.
Em Gálatas 5.16-25, Paulo expõe as obras da carne e o fruto do Espírito.
Vejamos as obras da carne que estão representadas no carnaval.
1-    PROSTITUIÇÃO: imoralidade sexual de todas as formas (Mt 5.32;19.9; At 15.20,29;21.25; 1Co 5.1).
2-    IMPUREZA: pecados sexuais, atos pecaminosos e vícios, inclusive maus pensamentos e desejos do coração (Ef 5.3; Cl 3.5).
3-    LASCÍVIA: sensualidade. É a pessoa seguir suas próprias paixões e maus desejos a ponto de perder a vergonha e a decência (2Co 12.21).
4-    IDOLATRIA: adoração de espíritos (entidades do candomblé, umbanda e cultos afros são expostos descaradamente), pessoas ou ídolos e também a confiança em uma pessoa, instituição ou objetos como se tivessem autoridade igual ou maior que Deus e Sua Palavra (Cl 3.5).
5-    FEITIÇARIAS: Magia negra, adoração de entidades demoníacas, uso de drogas e outros materiais utilizados na prática da feitiçaria (Ex 7.11; 8.18; Ap 9.21; 18.23).
6-    INIMIZADES: intenções e ações fortemente hostis; antipatias e inimizades externas.
7-    PORFIAS: brigas, oposição, luta por superioridade (Rm 1.29; 1Co 11.3.3).
8-    EMULAÇÕES: ressentimento, inveja amarga pelo sucesso dos outros (Rm 13.13; 1Co 3.3).
9-    IRAS: ira ou fúria explosiva que irrompe através de palavras e ações violentas (Cl 3.8).
10- PELEJAS: ambição egoísta e cobiça de poder (2Co 12.20; Fp 1.16,17).
11- INVEJAS: antipatia ressentida contra outra pessoa que possui algo que não temos ou queremos.
12- BEBEDICES: descontrole das faculdades físicas e mentais por meio de bebida embriagante e podemos colocar também drogas ilegais que alteram o comportamento do usuário.
13- GLUTONARIAS: diversões, festas com comida e bebida de modo extravagante e desenfreado, envolvendo drogas, sexo e coisas semelhantes.
As palavras finais de Paulo sobre as obras da carne são severas e enérgicas: quem se diz crente em Jesus e participa dessas atividades iníquas exclui-se do reino de Deus, isto é, da salvação (Gl 5.21).
Muitos textos poderiam ser mencionados para demonstrar a necessidade do povo de Deus separar-se não somente desta festa diabólica chamada carnaval, que longe está daquelas festas medievais que precediam a uma abstinência de carne de animais durante um período de tempo com finalidades religiosas. Hoje a “festa da carne” propaga a libertinagem, o consumo de drogas, a imoralidade em grande escala, a prostituição, a lascívia, consumo de bebidas alcoólicas de forma desenfreada, reverência a deuses pagãos (orixás e coisas que o valham). Nestes dias as chaves da cidade são entregues “simbolicamente” ao rei do carnaval, “Momo”, para governá-la. É como se disséssemos: “Por favor traga-nos um pouco de diversão, porque não aguentamos viver o tempo todo voltados para Deus!”
Para muitos, esses dias são a maneira encontrada para extravasar seus apetites pecaminosos.
Alguns vão para os locais de desfile para participarem ou simplesmente assistirem.
Para alguns é um espetáculo de rara beleza, para outros a oportunidade de se “liberarem das pressões” causadas pelas lutas do dia a dia.
Outras pessoas não têm a coragem de participar ativamente, por essa razão ficam em suas casas acompanhando pela televisão.
Jesus disse (Mt 6.22,23) que os olhos são a candeia do corpo e se eles forem trevas ao invés de luz, como será então o nosso corpo? Com isso Ele quis dizer também que os olhos são as janelas do corpo: O pecado começa pelo olhar, depois manifesta-se na mente e coração através do desejo e por fim consuma-se pela execução do prazer (Gn 3.6), porque o pecado tem pelo menos 3 características segundo Gn 3.4-7:
1-    É AGRADÁVEL AOS OLHOS;
2-    DÁ PRAZER NO ATO DE PRATICÁ-LO; e
3-    INFLUENCIA OS OUTROS. (O pecador não consegue permanecer sozinho no seu erro, mas o seu desejo é de que o mal se propague).

Quando pegamos a ladeira do pecado, dificilmente conseguimos parar!

A Palavra de Deus nos adverte que “os olhos do Senhor estão em todo lugar” (Sl 33.13), dessa forma, se ficarmos “contemplando” os desfiles de carnaval ou prostituição visual, estaremos sendo coniventes com o pecado e nós, enquanto crentes e tementes a Deus, somos ou pelo menos deveríamos servir de exemplo, como diz Pedro: Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz, a vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.” (1Pe 2.9,10)

Ao analisarmos determinadas situações a que estamos sujeitos nos dias atuais, a dúvida que vem à nossa mente é: “será que isso está escrito na Bíblia?” No caso específico do carnaval, não vamos encontrar uma proibição bíblica com o título “O CARNAVAL É PROIBIDO”, mesmo porque o mesmo não existia com as mesmas características dos dias atuais.
Pelo que pudemos analisar brevemente, vimos que o carnaval não contém nada que posso edificar o cristão, ao contrário, o que acontece durante os dias de sua realização estão, estes sim, definidos como pecados diante de um Deus Santo que não pode de maneira alguma compactuar com um festival de obscenidades e depravação dos padrões éticos e morais exigidos pelas pessoas de caráter.
Se o cristão tiver dúvidas em relação ao seu posicionamento diante dessa abominação, o conselho bíblico é: “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto: e ser-lhe-á dada.” (Tg 1.5)
Agora, se o “cristão” não encontra problemas em assistir, participar ou comentar prazerosamente a tudo isso, o conselho bíblico também é claro a respeito:  “Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se. E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim. Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas. Fora ficam os cães, os feiticeiros, os impuros, os assassinos, os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira. Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas às igrejas. Eu sou a Raiz e a Geração de Davi, a brilhante Estrela da manhã.” (Ap 22.11-16)

Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos