quarta-feira, 31 de março de 2010

Senhor, o que devo fazer?

Orou Eliseu e disse: Senhor, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. (2 Rs 6.17.)
Esta é a oração que precisamos fazer por nós mesmos e uns pelos outros: "Senhor, abre os nossos olhos para que vejamos"; pois, à nossa volta, como foi com o profeta, estão carros de Deus e seus cavaleiros, esperando para levar-nos a vitórias gloriosas. E quando os nossos olhos são assim abertos, podemos ver em todos os aconteci­mentos da vida — grandes ou pequenos, alegres ou tristes — um "carro" para a nossa alma.
Tudo o que nos vem pode tornar-se um carro, se o tratarmos como tal; e por outro lado, a mais leve dificuldade pode ser um peso esmagador e deixar-nos em miséria e desespero, se assim a conside­rarmos.
Cabe a nós mesmos escolher o que cada circunstância será. Tudo depende não dos acontecimentos em si, mas de como os tomamos. Se nos deixamos abater em face deles e permitimos que nos esmaguem, tornam-se para nós como o carro de Jaganata, que transportava o ídolo do deus e debaixo do qual os fiéis se lançavam; mas se subimos neles como num carro de vitória e os fazemos carregar-nos para diante e para o alto em triunfo, tornam-se para nós os carros de Deus. — Hannah Whitall Smith
O Senhor não pode fazer muito com o crente abatido; por isso o inimigo procura sempre levar o povo do Senhor ao desespero e ao sentimento de que nada podemos fazer pela nossa situação ou pela situação da igreja. Alguém já disse que um exército desanimado vai para a batalha com a certeza da derrota. Contou-nos uma missioná­ria, que foi levada de volta para a pátria, inválida, porque, como o seu espírito desmaiou, em conseqüência o seu corpo desmaiou também. Precisamos entender melhor estes ataques do inimigo sobre o nosso espírito e aprender como resistir a eles. Se o inimigo não consegue deslocar-nos da nossa posição, então procura consumir-nos (Dn 7.25) por um cerco prolongado, para que, por fim, pelo total abatimento, emudeça o nosso grito de vitória.

terça-feira, 30 de março de 2010

A Oração de um Profeta Menor

Esta é a oração de um homem chamado como testemunha pe­rante as nações. Foi isto que ele disse ao Senhor no dia de sua ordenação. Depois de os presbíteros e ministros terem colocado as mãos sobre ele, retirou-se para encontrar seu Salvador num lugar se­creto e em silêncio, bem além do ponto em que seus bem intencio­nados irmãos poderiam tê-lo levado.
Foram estas as suas palavras: Ó Senhor, ouvi a tua voz e fiquei com medo. Tu me chamaste para uma tarefa terrível numa hora gra­ve e perigosa. Está prestes a sacudir todas as nações e a terra, assim como o céu, para que permaneçam as coisas que não podem ser aba­ladas. Ó Senhor, meu Senhor, Tu te aviltaste honrando-me como teu servo. Homem algum recebe esta honra salvo aquele que é chamado por Deus como Arão. Tu me ordenaste teu mensageiro para os duros de coração e difíceis de entendimento. Eles te rejeitaram, a ti, o Mestre, e não posso esperar que me recebam a mim, o servo.
Deus meu, não perderei tempo deplorando minha fraqueza nem minha incapacidade para a obra. A responsabilidade não é minha, mas tua, pois disseste: "Eu te conheci — te ordenei — te santifiquei", e também afirmaste: "Irás a todos a quem te enviar e dirás tudo aquilo que eu ordenar". Quem sou eu para argumenta- contigo ou duvidar de sua soberana escolha? A decisão não me cabe, ela é só tua. Assim seja, Senhor. A tua vontade seja feita e não a minha.
Bem sei, Deus dos profetas e dos apóstolos, que enquanto eu te der honra tu me honrarás. Ajuda-me, pois, a fazer este voto solene de honrar-te em toda a minha vida futura e meu trabalho, na felicidade ou na desgraça, na vida ou na morte, e manter esse voto enquanto viver.
Está na hora, ó Deus, de entrares em ação, pois o inimigo inva­diu as tuas pastagens e as ovelhas foram destroçadas e espalhadas. Os falsos pastores andam por toda parte, negando o perigo e rindo dos riscos que o teu rebanho corre. As ovelhas estão sendo engana­das por esses mercenários e os seguem com lealdade tocante enquanto o lobo se aproxima para matar e destruir. Suplico-te, ó Deus, dá-me olhos penetrantes para perceber a presença do inimigo; dá-me enten­dimento para observar e coragem para contar fielmente o que vejo, Torna minha voz tão idêntica à tua que até mesmo as ovelhas doen­tes a reconheçam e te sigam.
Senhor Jesus, aproximo-me de ti para receber preparo espiritual. Impõe sobre mim a tua mão. Unge-me com o óleo do profeta do Novo Testamento. Proíbe que me transforme num escriba religioso e perca assim meu chamado profético. Salva-me da maldição que paira sobre o clero moderno, a maldição da transigência, da imi­tação, do profissionalismo. Salva-me do erro de julgar uma igreja pelo seu tamanho, sua popularidade ou pelas somas que oferece anual­mente. Ajuda-me a lembrar que sou um profeta — não um promotor, nem um administrador religioso, mas um profeta. Não permita que jamais me torne escravo da multidão. Cura minha alma das ambições carnais e salva-me da atração da publicidade. Livra-me da escravidão às coisas. Não permita que desperdice meus dias com trivialidades. Põe teu terror sobre mim, ó Deus, e leva-me para o lugar de oração onde possa lutar com os principados e potestades e com os senhores das trevas deste mundo. Livra-me de comer em excesso e dormir tarde. Ensina-me a autodisciplina para que possa ser um bom soldado de Cristo.
Aceito trabalho árduo e pequenas recompensas nesta vida. Não peço conforto. Procurarei não fazer uso das pequenas manipulações que facilitam a vida. Se outros procurarem o caminho mais suave, tentarei seguir o mais estreito sem julgá-los com demasiada severi­dade. Esperarei oposição e irei aceitá-la quando chegar. Ou, como algumas vezes acontece, se eu vier a receber presentes de agradeci­mento dados por pessoas bondosas, fica comigo então e livra-me do mal que geralmente se segue. Ensina-me a usar o que quer que re­ceba de modo a não prejudicar minha alma nem diminuir meu poder espiritual. E se em tua providência permissiva, eu vier a receber honra através da tua igreja, não deixe que me esqueça nessa hora de que sou indigno da menor de tuas misericórdias, e que se alguém me conhecesse tão bem como eu me conheço, essas honras não se­riam concedidas ou seriam feitas a outros mais dignos de recebê-las. E agora, Senhor do céu e da terra, consagro o restante de meus dias a ti; sejam eles muitos ou poucos, conforme a tua vontade. Faze-me ficar diante dos grandes ou ministrar aos pobres e humildes; essa escolha não é minha e não iria influenciá-la mesmo que pudesse. Sou teu servo para fazer a tua vontade, e essa vontade é mais doce para mim do que posição, riqueza ou fama, e eu a prefiro acima de todas as coisas na terra ou no céu.
Embora escolhido por ti e honrado por um chamamento subli­me e santo, não permita que eu jamais esqueça que não passo de pó e cinzas, um homem com todas as falhas e paixões naturais que perseguem a raça humana. Oro a ti, portanto, meu Senhor e Reden­tor, salva-me de mim mesmo e de todos os males que possa fazer a mim mesmo enquanto tento ser uma bênção para outros. Enche-me com o teu poder pelo Espírito Santo, e na tua força irei e anuncia­rei a tua justiça. Espalharei a mensagem do amor que redime enquan­to tiver forças.
Então, Senhor, quando estiver velho e cansado, não mais poden­do continuar, prepara um lugar para mim lá no alto, e permite que eu possa ser contado com os teus santos na glória eterna. Amém. AMEM.

domingo, 21 de março de 2010

“O EVANGELHO DE SÃO SIMÃO”

Alguns podem estranhar o título, porém não se trata de mais um livro apócrifo recém descoberto não; é uma referência a um personagem citado no livro de Atos dos Apóstolos, cap.8, onde existe a narrativa de um certo Simão- que antes de sua conversão, praticava a “arte da magia” e com esta havia iludido muitas pessoas (se achava o máximo porque conseguia enganar as pessoas – versos 9 e 11).
Com a pregação do evangelho pelos apóstolos, a Bíblia nos diz que o próprio Simão creu na Palavra – verso 13, sendo inclusive aceito na igreja através do batismo e mais ainda, abandonou o que fazia e passou a caminhar com os discípulos do Senhor.
Que mudança maravilhosa, que conversão tremenda!
Paremos um pouco agora para imaginarmos: - “como era a mensagem que Simão pregava às pessoas que dele se aproximavam? Ex-mágico, agora convertido ao Senhor Jesus...”Se contextualizarmos a situação, não seria mesmo assim as manchetes nas igrejas? “EX-MÁGICO, AGORA O MÁGICO DE JESUS” estará aqui nesta noite para contar seu testemunho maravilhoso.É o que vemos: ex-bailarina do Chacrinha; ex-cantor sertanejo; ex-bruxo; ex-jogador de futebol...”ex” para todos os gostos”; sobem nos púlpitos e muitos levam platéias ao delírio contando suas mazelas do tempo de pecado, é glória pra todo lado que se ouve na igreja.
Pessoas ainda desesperadas, muitas nem sequer convertidas verdadeiramente ou em muita confusão porque as igrejas de hoje em dia estão deixando de lado o ensino para se atirarem de corpo e alma “nas estratégias de crescimento”, custe o que custar e o mais rápido possível!
O que vemos?
Vemos o mesmo que aconteceu com Simão, narrado no texto nos versos 18 a 24, onde, vendo o Poder de Deus sendo derramado e o Espírito Santo enchendo os corações das pessoas, ofereceu dinheiro aos apóstolos para “comprar” ou exercer o mesmo poder e autoridade.
Quanta confusão na cabeça do Simão! Será que ele estava realmente convertido de seu passado terrível de pecado? Será que ele era mais um dos que pensam que evangelho é para promoção pessoal e enriquecimento fácil? O que será que passava pela cabeça de Simão?Ainda bem que os discípulos de Jesus não eram iguais a muitos pastores de hoje em dia, senão se aproveitariam do Simão também para angariar recursos para suas igrejas, para fazerem belas campanhas utilizando o nome do “ex-mágico” para atrair as pessoas. “É só para atrair as pessoas, depois nós falamos do evangelho para elas aqui na igreja!”Engraçado, não sabia que nós crentes, para ganharmos vidas para o Senhor temos de lançar mão de propaganda enganosa também! Venha, grande noite de curas e milagres, nesta noite, com fulano de tal...” Engraçado, é naquela noite, com fulano de tal, tem que acontecer, senão...
O Senhor vai se ver com eles, porque eles determinam: é naquela noite... tem que ser... é seminário de multiplicação, você vai alcançar “x” almas para o Senhor, é a meta, depois do seminário você vai vê em sua igreja... Parece meta de vendas, aliás, quem fez curso de vendas e marketing sabe que é por aí mesmo!
Creio que o evangelho de Simão está presente nas igrejas de hoje em dia, muito mais do que podemos imaginar; o verdadeiro evangelho, sério e bíblico, está cada vez menos sendo pregado, é substituído a cada dia por arraiais cristãos (incluindo nós, batistas nacionais), ninguém quer perder mais tempo orando, levando folhetos, ensinando a Palavra como ela é e buscando que haja mudança de vida nas pessoas; muitos imaginam que no poder do Senhor pode ser comprado (num seminário de igrejas de poder, ou do fogo renovador, ou com o poderoso irmão dos EUA, ou o grande evangelista fulano de tal, ou com estratégias que levam à regressão, traumas do passado, retiros absurdos onde lavagens cerebrais são realizadas... pessoas saem com medo de DEUS e não convertidas a ELE), enfim, onde iremos parar?
Jesus afirma em seu sermão final (Mt 24 e 25) que o maior sinal do final dos tempos seria a multiplicação dos falsos mestres e falsos doutores... pastores... etc. Não é o que estamos assistindo nestes dias? Um cria a igreja !só para os jovens”, outro, a igreja que tem “poder”, nenhuma outra tem, só a dele; outro cria a igreja dos pó stars – das celebridades... antigamente (e biblicamente) igreja era para família toda – pais e filhos servindo ao Senhor da seara juntos, num pic-nic juntos, famílias inteiras servindo ao Mestre!
Será que temos coragem de colocar um artigo destes em nosso jornal da CBN? Ou vai ofender alguns que estão gostando destas práticas e se aproveitam delas para encher suas congregações com pessoas cada vez mais vazias?
Só o Senhor é DEUS, que Ele tenha misericórdia de nós!
Pr. Omar Bianchi

segunda-feira, 15 de março de 2010

PEDIDOS URGENTES DE ORAÇÃO

PEDIDOS URGENTES DE ORAÇÃO1) Oremos pela irmã Lorena de Goiânia. Ela está com uma enfermidade que os médicos não conseguem diagnosticar. Segundo nos informou o irmão Fabiano ela já foi a 2 médicos e eles não sabem o que pode ser; já faz 4 dias que ela está com os seguintes sintomas: o corpo fica todo “pipocado”,dos pés à cabeça, com várias manchas vermelhas, como se fossem calombos ou vergões que causam febre e desmaios.Ela vai aos médicos, é medicada e depois os sintomas retornam. Hoje ela fará novos exames para procurarem a causa. Oremos ao Senhor para essa enfermidade seja não apenas diagnosticada, mas curada, pois para o nosso Deus não há nada que lhe seja oculto, Ele nos formou e conhece cada célula de nosso corpo e confiamos na sua intervenção. Não deixe de colocar a vida dos irmãos em oração também.
2) No dia 11/03 enviamos o seguinte pedido de oração (que ainda consta no final dos e-mails que encaminhamos diariamente): PEDIDO URGENTE DE ORAÇÃO Vamos orar para que a situação se acalme no Paquistão (14º) e que os culpados pelo ataque sejam encontrados e que os irmãos que ali colaboram possam continuar trabalhando com segurança. Oremos para que o Senhor console o coração dos parentes dos mortos e que não esmoreçam na fé. O Paquistão está classificado em 14º lugar na lista dos 50 países com perseguição religiosa e intolerância quanto à pregação do Evangelho. Infelizmente temos mais uma notícia alarmante que vem do Paquistão. Uma irmã foi queimada VIVA.
Leia a notícia abaixo e não deixe de clamar ao Senhor para que os familiares sejam consolados e que a onda de violência, principalmente contra cristãos, seja interrompida. Ore para que os irmãos e irmãs que ali vivem, missionários (as) ou irmãos (as) em Cristo que tem sido alcançados pela Salvação em Jesus Cristo, possam ter a certeza de que apesar das lutas e perseguições que têm enfrentado o Senhor Jesus nunca os abandonou e que se não fosse pela Sua intervenção as perseguições e lutas seriam até mais cruentas do que já são. Creiamos como o Salmista: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações. Portanto, não temeremos ainda que a terra se transtorne e os montes se abalem no seio dos mares; ainda que as águas tumultuem e espumejem e na sua fúria os montes se estremeçam. Há um rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; jamais será abalada; Deus a ajudará desde antemanhã. Bramam nações, reinos se abalam; ele faz ouvir a sua voz, e a terra se dissolve. O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. Vinde, contemplai as obras do SENHOR, que assolações efetuou na terra. Ele põe termo à guerra até aos confins do mundo, quebra o arco e despedaça a lança; queima os carros no fogo. Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.” (Salmos 46)
15/3/2010 - 06h36 (fonte: Missão Portas Abertas)Adolescente cristã é queimada viva. Ore pela família








(foto) Mulheres de burca no Paquistão
PAQUISTÃO (14º) - A agência de notícias International Christian Concern (ICC) foi informada de que um homem muçulmano supostamente queimou uma adolescente cristã viva em Lahore, Paquistão. A polícia paquistanesa ainda não prendeu nenhum suspeito.
A vítima, Kiran George, trabalhava como empregada doméstica na casa da família do suspeito, Muhammed Ahmed Raza. Raza abusou sexualmente de Kiran durante vários meses. No dia 9 de março, quando Raza tentou estuprar Kiran novamente, ela ameaçou chamar a polícia. Então, Raza e sua irmã despejaram gasolina em Kiran e a queimaram. “Aquela garotinha estava em chamas dos pés à cabeça. Kiran gritava por ajuda”, disse um vizinho.
Uma testemunha ocular chamou a família de Kiran, que a levou para o hospital Mayo. Os médicos a examinaram e disseram que 80% de seu corpo estava queimado.
Depois de lutar contra queimaduras graves, Kiran não aguentou e faleceu no dia 11 de março.
A família de Kiran e a comunidade cristã da região se reuniram diante da Assembleia de Punjab para protestar contra o crime horrendo cometido pela família muçulmana. Os manifestantes pediram que a polícia prendesse os suspeitos.
A família muçulmana alegou que Kiran foi queimada depois que suas roupas pegaram fogo enquanto fazia os serviços domésticos na cozinha.
Jonathan Racho, diretor regional da ICC no Sudeste Asiático, afirmou: “Estamos horrorizados com os abusos contínuos que os cristãos têm sofrido nas mãos dos muçulmanos no Paquistão. A negligência da polícia em prender os suspeitos que queimaram Kiran também demonstra a falta de justiça para os cristãos no Paquistão”.Ore para que a família de Kiran seja consolada e fortalecida pelo Senhor.

*******************************************************
CONHEÇA UM POUCO SOBRE A IGREJA PERSEGUIDA NO PAQUISTÃO
*******************************************************

A Igreja Perseguida no Paquistão ocupoa a 14ª posição na classificação do rankin dos 50 países com perseguição religiosa ou intolerância quanto à pregação do Evangelho.
Localizado entre o Afeganistão, o Irã, a China e a Índia, o Paquistão ocupa uma região estratégica no sul da Ásia. O território pode ser dividido em três áreas geográficas principais: a região montanhosa da Cordilheira do Himalaia ao norte, o vale do Rio Indo e o Planalto do Baluchistão. O clima é predominantemente árido, com verões quentes e invernos rigorosos.
População
A população paquistanesa constitui-se de vários grupos étnicos, entre os quais se destacam os punjabis, os sindis, os patanes e os baluchues. O povo é bastante jovem, mais de um terço da população tem menos de 15 anos de idade. O analfabetismo é um mal que atinge metade da população. O pior índice está entre as mulheres: apenas 36% delas sabem ler e escrever. Problemas como a precariedade habitacional e a infraestrutura inadequada de saneamento básico contribuem para o surgimento de doenças e para a alta taxa de mortalidade. Para se ter uma ideia, somente um terço da população tem acesso à água potável.
A Igreja A Constituição estabelece o islamismo como a religião do Estado. Ela também declara que as minorias religiosas devem ter condições para professar e praticar sua religião em segurança. Apesar disso, o governo limita a liberdade religiosa. Uma forma de limitação é a lei de blasfêmia paquistanesa. Essa lei sentencia à morte quem deprecia o islã ou seus profetas; à prisão perpétua quem deprecia, danifica ou profana o Alcorão; e a dez anos de prisão quem insulta os sentimentos religiosos de outra pessoa. A lei de blasfêmia tem sido bastante usada por indivíduos que querem resolver questões pessoais, uma vez que, para acusar alguém de ter blasfemado, não é necessário ter provas. Precisa-se apenas da acusação formal. No contexto paquistanês, a palavra de um muçulmano vale pela palavra de dois cristãos, e isso dificulta o processo de defesa. Embora nenhum cristão paquistanês até agora tenha sido executado após sua condenação, mais de uma dezena de pessoas foram acusadas e forçadas a viver em condições desumanas na prisão, em esconderijos ou no exílio. No fim de 2008, um garoto encontrou uma sacola na rua contendo páginas rasgadas de um Alcorão. Sem saber o que fazer com aquilo, o menino levou a sacola para casa. Sua irmã mais velha, Ashiyana Masih, levou a sacola e seu conteúdo a uma vizinha muçulmana. Mas essa vizinha, que tinha uma briga antiga com a família de Ashiyana, acusou a jovem e seu pai, Gulsher Masih, de terem blasfemado contra o Alcorão. Após a denúncia, mais de cem pessoas atacaram a casa da família cristã, levando-a a fugir e se esconder. No entanto, Ashiyana e seu pai foram presos. O pedido de fiança que os representantes legais de Ashiyana fizeram foi negado. Ainda não foi marcada uma nova data para a audiência dela e de seu pai.
1. A maioria da Igreja paquistanesa é formada por pessoas da etnia punjabi. Ore para que os cristãos paquistaneses desenvolvam uma Igreja transcultural que envolva todas as etnias do país.
2. A Igreja tem contra si o forte preconceito do governo. Ore pedindo que as autoridades do país abrandem suas posições contrárias ao cristianismo e permitam que as crenças não muçulmanas tenham uma representação mais ampla no governo.
3. Os líderes cristãos são frequentemente perseguidos e ameaçados. Ore para que eles continuem a evangelizar com ousadia, façam novos discípulos e treinem novos líderes com o objetivo de implantar a Igreja de Cristo em todo o território paquistanês.
4. Ore pelo fim da violência contra os cristãos. Ore também para que os conflitos no vizinho Afeganistão não acirrem ainda mais a tensão religiosa no Paquistão.
SAIBA MAIS SOBRE A IGREJA PERSEGUIDA NO PAQUISTÃO, LENDO: http://www.portasabertas.org.br/paises/perfil.asp?ID=130

sábado, 13 de março de 2010

Dwight L. Moody - Um exemplo a ser seguido!

Dwight Lyman Moody (5 de fevereiro de 1837- 22 de dezembro de 1899), também conhecido como D.L. Moody, foi um evangelista e editor americano que fundou a Igreja Moody, a Escola Northfield, a Escola Mount Hermon em Massachusetts (agora chamada Escola Northfield Mount Hermon), o Instituto Bíblico Moody e a Moody Press.
Juventude
O pai de Dwight Moody era alcoólatra e morreu aos 41 anos. Dwight tinha somente quatro anos e era o mais jovem de sua família nesse momento.
Moody mudou-se para Boston em busca de trabalho. Trabalhou com seu tio em uma sapataria. Uma das exigências de seu tio era que Moody freqüentasse uma igreja; entrou para a Igreja Congregacional. Ele freqüentou, mas não estabeleceu um relacionamento pessoal com Deus até mais adiante. Certo dia, um professor falou-lhe sobre quanto Deus o amava. Moody converteu-se então ao cristianismo. Sua conversão iniciou sua carreira como evangelista.
O trabalho conduziu sua escola dominical em Chicago a ser a maior da época. Moody trabalhou tão arduamente que no decorrer de um ano a incidência média em sua escola era de 650 pessoas, enquanto sessenta voluntários de varias igrejas trabalhavam como professores. A escola chegou a ser tão conhecida que o recém eleito presidente Lincoln visitou e falou em uma reunião da escola em 25 de novembro de 1860.
Sua vida mais adiante
Depois do começo da Guerra Civil, se uniu à Comissão Cristã Americana (YMCA – A ACM do Brasil). Em Chicago, Moody trabalhou para começar uma escola dominical para crianças nas zonas mais pobres da cidade. Logo teve mais de 1000 crianças além de seus pais freqüentando semanalmente. Em 1862, o presidente americano Abraham Lincoln visitou a escola. A congregação cada vez maior necessitava de um lugar permanente, assim Moody começou uma igreja em Chicago, a Illinois Street Church. Quando a igreja se queimou no Grande Incêndio de Chicago, foi reconstruída após três meses em uma localidade próxima, sob o nome de Chicago Avenue Church.
Em uma viagem à Inglaterra, Moody se fez mais conhecido como evangelista, a ponto de haver sido chamado de maior evangelista do século XIX. Sua pregação teve um impacto tão grande como as de George Whitefield e John Wesley dentro da Grã-Bretanha, Escócia e Irlanda. Foi contemporâneo do pregador Charles Haddon Spurgeon, chegando a pregar, nessa ocasião de sua viagem, no Tabernáculo Metropolitano de Londres, em 1873. Em varias ocasiões encheu estádios com capacidade entre 2 mil e 4 mil pessoas. Em uma reunião no Botanic Gardens Palace se juntaram entre 15.000 e 30.000 seguidores. Este séqüito continuou em 1874 e 1875, com as multidões em todas as reuniões. Quando voltou aos Estados Unidos, as multidões de 12.000 a 20.000 eram tão comuns como na Inglaterra. Suas reuniões evangélicas se celebraram de Boston a Nova York, passando por Nova Inglaterra e outros povos da costa oeste, como Vancouver e San Diego.
Entre 1884 e 1891, Moody mostrou-se ativo em campanhas evangelísticas nos EUA e no Canadá. Estabeleceu o Instituto Bíblico de Chicago que mais tarde mudou de nome para Instituto Bíblico Moody que tem servido de grande força aos evangélicos e tem preparado pregadores, missionários e líderes que têm trabalhado em todos os continentes do mundo. Sua pregação era caracterizada por aqueles que o ouviam, como direta, sincera, franca, sem enfeites, não-gramatical, sempre simples mas enormemente sincera e convincente. Moody era homem simples e honesto no tocante ao dinheiro, como em tudo o mais. Não aceitava lucros e todos os proventos das vendas do hinário de sua autoria e de Ira D. Sankey eram administrados por uma junta de encarregados, e eram destinados ao sustento das escolas de Northfield. Aproximando sua morte, ele era relativamente pobre. Ele declarou: "minha esposa e meus filhos simplesmente terão que confiar no mesmo Deus em que tenho confiado".
Deu seu último sermão em 16 de novembro de 1899. R.A. Torrey foi o sucessor de Moody como presidente do Moody Bible Institute. Dez anos depois de sua morte, a Chicago Avenue Church foi renomeada como Igreja Moody em sua homenagem.
Fonte"http://pt.wikipedia.org/wiki/Dwight_L._Moody"

Deus mandou a chuva para deter o inimigo

ETIÓPIA (44º) - “Não tinha com quem contar. Telefonei para o meu líder no meio da confusão. Ele orou por mim. E Deus enviou a chuva para conter o inimigo, que desejava tirar minha vida”, contou Mihiret Tamir (foto), 38, missionário de uma remota aldeia do Estado de Amhara.
Há dez anos, Mihiret foi o primeiro a se converter em sua aldeia. Desde então, ele tem enfrentado oposição. Já recebeu ameaças de morte e sobreviveu a mais de um ataque.O ataque mais recente se deu em 1º de maio do ano passado, quando Mihiret e sua família acordaram por volta da meia-noite com o barulho de pedras atingindo sua casa.
A esposa e os filhos de Mihiret esperavam o pior, pois ainda estavam traumatizados pelos ataques anteriores.
A casa da família já foi incendiada, a plantação já foi destruída e o próprio Mihiret já sofrera agressões que quase o mataram.
Enquanto as pedras atingiam sua casa, Mihiret, preocupado, tentou consolar a família e reuniu-a para orar.
A casa foi apedrejada por mais de 30 minutos, enquanto a família se perguntava o que fazer.“Todos me olhavam, foi muito difícil. Não podia escapar dos olhares de meus amados, e percebi que tinha de mostrar um pouco de força e calma para lhes assegurar de que a situação não era perigosa” relembrou Mihiret.
Desesperado, ele telefonou para seu coordenador, que vive em Bahirdar, para pedir ajuda em oração.
Telefonema inesperado“Era tarde da noite, cerca de 1 da manhã, e eu estava dormindo”, o coordenador comentou.
“Fiquei assustado em receber uma ligação tão tarde. Quando vi que era Mihiret quem estava ligando, suspeitei que havia algo errado. Atendi o telefone e logo perguntei o que estava acontecendo. Ele me disse que havia pessoas apedrejando sua casa. Mihiret pediu para que orássemos por eles. Eu conseguia ouvir as pedras atingindo a casa, ao fundo. O que mais poderia fazer naquele momento? Moro a cem quilômetros de distância, e já era tarde...
Oramos juntos pelo telefone. Antes de desligar, animei Mihiret a confiar em Deus. Eu estava realmente confuso. O que podia fazer para ajudá-lo? Algumas semanas antes do incidente, ele me disse que havia recebido uma nota, mandando-o deixar a aldeia. Fiquei preocupado com a segurança dele, já que podiam atacá-lo. Ajoelhei-me e orei pela segurança de Mihiret e de sua família.
Não consegui dormir depois daquele telefonema.
Livramento
“Pela manhã, Mihiret telefonou de novo e deu graças a Deus. Foi um enorme alívio ouvi-lo dizer que estava seguro. Ele me contou que, assim que oramos juntos, caiu uma enorme chuva na vila, acompanhada de um vento fortíssimo. A chuva e o vento permaneceram por mais tempo do que o normal. Consideramos isso uma intervenção divina. Foi inesperado. A chuva forçou as pessoas a ir embora e buscar abrigo”, o coordenador compartilhou.
Mihiret contou que desde então, os aldeões o chamam de “o mágico”. “A vila toda estava preocupada com a falta de chuva naquele mês. Mas, de repente, a chuva veio para dispersar meus inimigos. Foi intervenção de Deus”, compartilhou.
Ele continua: “Não vou parar de ser testemunha de Cristo. Não devo poupar minha vida neste mundo. Costumava ter de tudo, mas não tinha paz de mente e coração. Só consegui isso em Cristo. Fui quase morto por pessoas que se opõem a minha fé nele. Mas sobrevivi… Não tenho vida fora de Cristo. Não vou hesitar em morrer no ministério, se essa for a vontade de Deus e se for necessário.”
Mihiret treina atualmente mais de 20 novos convertidos.
Pedidos de oração:

• Interceda pela Igreja no Estado de Amhara. Que Deus ajude esses irmãos a suportar o sofrimento e a perseguição para a glória dele.
• Ore por Mihiret e sua família, que sofre oposição da comunidade onde vivem. Peça a proteção de Deus sobre eles. Que Mihiret dependa da sabedoria e direção de Deus para conduzir seu ministério.


****************************************************************


Vamos conhecer um pouco sobre a Igreja perseguida na Etiópia




****************************************************************
A Etiópia está localizada em uma importante área do leste africano conhecida como Chifre da África. Seu território apresenta um grande número de montanhas e planaltos. A região apresenta grande diversidade no clima e na vegetação. A população etíope é diversificada. Quase 77 grupos étnicos compõem a população, e falam-se 84 línguas no país. O idioma amárico é o oficial. Algumas escolas, entretanto, substituíram o ensino dessa língua por outras mais faladas na região, como o oromifa e tigrinia. A AIDS é um problema para os etíopes. Em 2005, a ONU afirmou que mais de 25 mil pessoas são infectadas pelo HIV semanalmente na Etiópia, incluindo crianças.1 Aproximadamente 4,4% dos adultos possuem o vírus. Por conta da doença, a expectativa de vida é baixa (55 anos) e a mortalidade infantil é alta (8,2% das crianças que nascem vivas morrem antes de completar o 1º ano de idade).
Embora a liberdade religiosa seja garantida pela Constituição, o governo controla essa liberdade. A Igreja evangélica é a que mais sofre, por ser a minoria. Ela é monitorada pelo governo e não goza dos mesmos direitos que os ortodoxos ou muçulmanos.
Em setembro de 2008, líderes das igrejas protestantes de Lalibela receberam ordem de parar todos os cultos das igrejas. A ordem foi baseada na alegação de que tais igrejas eram ilegais. Lalibela é conhecida por suas igrejas encravadas nas rochas, que datam do século XII, propriedades da Igreja Etíope Ortodoxa. Por centenas de anos, a cidade foi centro de treinamento de padres, monges e outros ministros ortodoxos. A peregrinação a Lalibela é sagrada para os ortodoxos etíopes, pois consideram esta a segunda Jerusalém.
A comunidade local se orgulha muito da herança de Lalibela e trabalha duro para manter qualquer outra religião fora da região, inclusive o protestantismo.
Mais propensos à evangelização do que os demais cristãos, os evangélicos atraem o ódio de muçulmanos e ortodoxos por "roubarem seu rebanho": fazerem convertidos em meio às comunidades islâmica e ortodoxa.
As pessoas que tentam incorporar reformas à Igreja Ortodoxa são excomungadas e expulsas de suas moradias, como aconteceu na metade de 2008. Dezoito membros da Igreja Ortodoxa Etíope (EOC), acusados de atividades em favor de reformas, foram recentemente excomungados. Os que se convertem e passam a frequentar a Igreja protestante sofrem retaliações e ataques mais diretos. Em julho de 2008, dois convertidos tiveram sua casa incendiada. Apesar de a família sair com vida, os danos foram altos.Os ex-muçulmanos são vítimas da perseguição de seus familiares. São marginalizados pela comunidade e também sofrem ameaças e ataques. O caso mais exemplar disso foi o assassinato de evangelista Michael Dhaba, em outubro de 2006. Michael, com 38 anos de idade quando faleceu, era um evangelista conhecido, dedicado a alcançar os muçulmanos com o amor de Cristo. Por meio de seu ministério, muitos muçulmanos vieram a conhecer a verdadeira paz com Deus. Mesmo Michael tendo o respeito e a admiração de alguns xeiques, havia alguns que estavam insatisfeitos com a dedicação de Michael em ganhar almas para Cristo. Ele foi martirizado na porta de casa, em frente à sua família.
****************************************************************
SAIBA MAIS SOBRE A IGREJA PERSEGUIDA NA ETIÓPIA, LENDO: http://www.portasabertas.org.br/paises/perfil.asp?ID=57

terça-feira, 9 de março de 2010

Marrocos- O Orfanato da Vila da Esperança foi fechado

Graça e paz a todos!
Essa Instituição foi fechada e os lideres foram expulsos do Marrocos.
Não deixe de ler os motivos que levaram o governo do marrocos a deportar esses irmãos no blog "Procurando os perdidos":
http://procurandoosperdidos.blogspot.com/2010/03/marrocos-orfanato-cristao-e-fechado.html

De sexta para hoje...(terça feira) já foram expulsas 42 pessoas e agora a onda está crescendo e indo em direçao aos centros de fisioterapia...
Não deixe de interceder por esses irmãos.
Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos

**************************************************************
A história da Casa da Criança Casa da Criança perto de Ain Leuh foi iniciada por dois americanos, Emmagene Coates e Ellen Doran. Cuidaram de crianças abandonadas em um apartamento em Azrou antes de passar para Ain Leuh. De 1951 a 1957, tinham entre 2 e 4 filhos constantemente sob seus cuidados.
Em 1957, eles compraram cerca de 5 hectares (cerca de 12 + acres) de terra de um oficial militar francês. De 1957 a 1985, assumiram 6 meninos e 10 meninas. Entre 1986 e 1995, eles levaram mais de 10 crianças. No ano seguinte, sua idade e consequente morte da Sra. Coates trouxe os filhos restantes para o Abrigo infantil, uma outra casa para crianças entre os iniciados e Azrou Ifrane.
Sra. Coates morreu no dia 19 de dezembro de 1995 com a idade de 85 e a Senhora Doran voltou a Minnesota, E.U.A., onde viveu em saúde relativamente boa. Ela faleceu em 17 de outubro de 2007 com a idade de quase 98.
O apoio da casa foi fornecido por doações privadas, principalmente de amigos e parentes.
Ao longo do ano operacional da casa da criança que recebia regularmente o apoio e o estímulo das pessoas no Abrigo.
Um maior apoio veio de uma comissão de expatriados residentes principalmente em Rabat, a capital de Marrocos.
Após a saída da Sra. Doran, a propriedade caiu em abandono. Os edifícios no local estavam em um estado de abandono e necessitavam ser reconstruídos antes que pudessem ser ocupados. Após uma série de propostas e contra-propostas com as autoridades regionais, o grupo independente desenvolveu um plano que incluia um campus de 100 crianças. O governo deu a sua permissão para ir em frente e documentos foram elaborados por um arrendamento de 99 anos. A autorização foi concedida no dia 23 de agosto de 1999. Início de setembro, as equipes se estabeleceram e começou a demolir o antigo fundamento. Do original 400 macieiras exigem atenção urgente. Equipes de voluntários ajudaram os trabalhadores locais a podar e plantar novas árvores.
Para se tornar uma entidade reconhecida, porém, uma nova diretoria teve de ser constituída. Em 1997, a comissão de reorganização, a fim de obter a permissão das autoridades marroquinas para reabrir a casa. Recebemos esses papéis perto do final de 2002. Aguardando isso, Errol foi em frente e recebeu a oficina da construção onde ele e Michelle, usaram como um lar temporário. A partir desse ponto de vista, ele foi capaz de supervisionar a construção das unidades habitacionais da família. As casas foram alugadas em Ain Leuh, ou lugares vizinhos Toufestalt, para as equipes de trabalho, que entraram na fonte abundante! Os Boonstras, a nossa segunda família, e a equipe moraram na cidade enquanto a construção progredia.
Um enorme tanque séptico tive que ser construído de modo a funcionar bem no futuro. O sistema de distribuição de água ainda está nos estágios de formação. Uma torre de armazenamento foi construída e os meios para manter a água pura estão sendo trabalhados. Junto com as necessidades de água pura e tratamento de esgoto adequado, um incinerador também foi construído para acumulação de lixo.
A maioria desses projetos tiveram seus problemas de dentição, mas o Senhor tem trazido pessoas capazes para ajudar Errol e a equipe e os construtores locais. Eles aprenderam e aumentaram suas habilidades em áreas muito novas para eles. Os projetos que requerem a nossa atenção, agora, são as próximas unidades habitacionais e algumas do complexo da cafeteria comunitária, juntamente com o desenvolvimento de laços de comunicação segura dentro do campus e para aqueles que estão em contato.
Os rudimentos de uma contabilidade e orçamento têm sido postas em prática. Os fundos para diferentes áreas de desenvolvimento estão sendo aplicados de forma mais criteriosa.O desenvolvimento curricular é o próximo passo importante para o desenvolvimento das nossas crianças. Muito mais do planejamento é necessário para esta geração e o próximo conjunto de pais e filhos.
A Visão
Este é o estabelecimento de um lar para crianças órfãs e indesejados até a idade de 18 anos. A instalação vai se tornar uma casa permanente para as crianças. Vamos tentar proporcionar a essas crianças alimentação, vestuário, abrigo e cuidados pessoais de adultos por pais adotivos.
Novas unidades habitacionais foram projetados para acomodar um casal e 10 crianças. Acreditamos, que os pais dentro deste ambiente familiar são capazes de gastar tempo, energia, paciência e concentração, a fim de envolver-se ativamente a criança durante o processo. Haverá 10 unidades habitacionais para o lar, quando totalmente ocupado, será capaz de abrigar 100 crianças. Gostaríamos de nos esforçar para treinar a cada criança no caminho em que ele ou ela deve ir, de modo que quando estiverem maduras não vão esquecer a formação que receberam. Os resultados serão bem equilibrados e muito bem equipados os jovens.
Vamos também oferecer educação de infância até à fase de diploma de ensino (de 5 anos a 18). O foco central da educação será a sementeira para a excelência. Como educadores, percebemos que o trabalho na esfera da educação não pode mostrar resultados imediatos. No entanto, como sementes de verdade são semeadas, os alunos serão bem ensinados em princípios que lhes permitam ter sucesso, e ajudá-los a construir futuros forte. Sua educação será holística como uma tentativa será feita para atender o seu desenvolvimento social, espiritual, mental, físico, emocional e necessidades financeiras.
no terreno do orfanato
O desenvolvimento das possibilidades agrícolas são duas. Em primeiro lugar, gostaria de usá-lo para a formação das crianças que gostariam de exploração agrícola, de maneira paulatina, para ter conhecimento suficiente para fazê-lo. Em segundo lugar, vamos usá-lo para criar um certo grau de auto-suficiência, utilizando as culturas disponíveis. Os pomares existentes serão desenvolvidos através da adição de vários tipos de árvores frutíferas. Animais, galpões para bovinos, ovinos, galinhas e coelhos foram previstas.
Na casa planejamos ter uma cozinha central e lavanderia. Na unidade de saúde também foi incluído o tratamento médico das crianças, este deve ser o ponto crucial.A de terra serão desenvolvidos para Facilidades de esporte e lazer a uma descrição acima pode-se concluir que os recursos necessários para realizar esta visão são importantes . Por causa da confiança em Deus chegaremos lá. Temos como objetivo dar início ao programa de construção em fevereiro de 2000.

Marrocos: Orfanato cristão é fechado: líderes são expulsos do país

Voh trabalhadores estrangeiros expulsos de Marrocos

Queridos amigos.
Fomos convocados pelas autoridades e disseram que os 20 estrangeiros na Voh devem deixar o país. Eles não disseram quanto tempo nos resta, mas será entre 1 e 3 dias. O motivo é que as crianças abandonadas aos cuidado de Voh terem sido proselitizada por nós, que estamos tentando fazê-las cristãs. Isto apesar do fato de que temos sido sempre abertos sobre a nossa fé com as autoridades, e durante 10 anos, eles têm permissão de Leitura para acolher e incentivar as crianças abandonadas por esta sociedade, as crianças que de outra forma seriam mortas ou colocadas pelo estado em 'mega 'orfanatos.
Para nós deixamos amigos, memórias, trabalho duro, mas saímos com nossos filhos William e Samuel.
Para outros, não é tão fácil. 33 crianças acabam de ser abandonadas novamente pelas ações do Estado marroquino. Fomentar suas mães, pais, irmãs e irmãos, agora devem deixá-los no Marrocos e retornar para seus países de origem. Estas 33 crianças nunca conheceram outra mãe. Alguns deles estão aqui há 10 anos, desde o início da Voh.
Um dos filhos mais velhos só disse a Tina, 'Por que eu não poderia ter pais reais? ". Assistindo a criança ser abandonadas por seus pais que tiveram que sair, que eles talvez nunca voltem a vê-los novamente, é a coisa mais dolorosa que eu já testemunhei.Sinta-se livres para circular a presente para que todos saibam: igrejas, mídia, funcionários, deputados, todos.
Isto é uma vergonha e uma vergonha para os líderes de Marrocos. Eles vão responder a Deus.
Por favor, orem para as crianças da Aldeia da Esperança, e para seus pais e irmãos de criação que eles têm agora de se despedir.
E por baixo estão os braços eternos.
Com os melhores cumprimentos.
Chris Broadbent.
http://www.voh-ainleuh.org/?p=Start


************************************************************************
Graça e paz a todos!
Recebemos a correspondência abaixo de uma irmã missionária que atuou por 7 anos no Marrocos e países vizinhos, de maioria islâmica.
Precisamos interceder por esses irmãos e irmãs que atuavam junto ao Orfanato na Vila da Esperança e principalmente pelas crianças que estarão novamente abandonadas, pois muitas delas como lemos na carta acima postada no site da entidade e nas informações abaixo, nem ao menos chegaram a conhecer seus pais biológicos.
Saiba mais sobre a Igreja perseguida no Marrocos, lendo: http://www.portasabertas.org.br/paises/perfil.asp?ID=111
Não deixe de divulgar e interceder por esses irmãos.
Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos


************************************************************************
Março 8, 2010
Cumprimentos de Rabat Church de Marrocos:
Eu tenho a notícia alarmante.
Esta tarde recebi uma chamada por telefone de Herman Boonstra, diretor da Vila da esperança que os policiais tinham dito que apenas a equipe de funcionários necessitada se arrumar e seguir para o aeroporto deportado para fora do Marrocos esta noite.
Deixe-me voltar para trás e descrever os eventos que conduziram a este.
Em março 2009 os policiais invadiram o estudo bíblico de uma mulher em Casablanca e mandaram as cinco mulheres estrangeiras que a estavam visitando para fora do país.
Em novembro 2009 as policiais invadiram uma reunião Cristã no norte e mandaram cinco estrangeiros para fora do país.
Em janeiro 2010 os policiais invadiram uma reunião cristã ao sul de Marrakesh e mandaram um americano que estava de visita para fora do país.
Então neste fim de semana passado, em um esforço coordenado, vindo dos níveis mais elevados do governo, os cristãos em torno do país foram chamados a depor, questionados durante a noite e mandados para fora do país no dia seguinte.
A lista é grande: Casais britânicos de Essaouri; americano de Fez (sua esposa e filha tiveram permissão para permanecer até que a filha termine seu ano de escola); brasileiro do EL Jadida, homem britânico de Tânger (foi permitido a sua esposa permanecer até que seu cartão vença, devendo sair em agosto), pastor coreano de Rabat (enviado ao serviço antes de nós), um homem de Marrakesh, três americanos de Congolese (eu penso) que trabalhavam em um centro do recuperação em Nador. A um americano foi negado a entrada no país quando tentou voltar para casa. Um sul africano foi puxado para fora de seu trabalho como professor em Casablanca para ser questionado. Um homem em Meknes foi levado para ser questionado.
Tantas coisas estão acontecendo naquele lugar que eu posso esquecer de alguma. Durante todo o dia eu tenho recebido chamadas por telefone, email e Skype falando sobre todos os acontecimentos que vem ocorrendo ali. Os policiais, como parte desta campanha nacional, vieram à vila da esperança no sábado, por volta das 3:30 PM. Disseram que era uma visita de rotina e tinham algumas perguntas a fazer. Perguntaram se poderiam ver uma das casas e foram convidados a entrar. Começaram abrindo imediatamente os armários e as gavetas, abriram as estantes e fizeram exame dos materiais que consideraram incriminadores. Entrevistaram cada uma das crianças. Entrevistaram toda a equipe de funcionários e voluntários. Finalmente, às 3 AM eles saíram. Voltaram no domingo após ter entrevistado alguns voluntários que estavam permanecendo próximo a Azrou. Continuaram entrevistando as crianças, começando pela documentação.
Havia três grupos de policiais e cada um procurando suas próprias cópias. Herman foi chamado na cidade de Ain Leuh para encontrar-se com a elevação - oficiais de polícia nivelados. Chamou-me na última noite às 11:40 PM para dizer que a situação era realmente séria. Tinham coletado todos os passaportes da equipe de funcionários e então anunciaram finalmente a Errol e a Herman que todos eles deveriam sair.
Assim em menos de sete horas, os pais e a equipe de funcionários tiveram que fechar suas malas e dizer adeus a suas crianças.
Os mais velhos destas crianças estiveram lá por dez anos. Estes são os únicos pais que tiveram e o governo separou-os, traumatizando as crianças e dilacerando os corações dos pais.
Nós todos ficamos atônitos. A Embaixada americana foi maravilhosa. Estão seguindo estes eventos intensamente. Um par das famílias da embaixada foi justamente em VOH no último fim de semana para pintar um quarto na enfermaria e a oferecê-lo à comunidade. Assim isto é pessoal.
Eu não fico feliz quando o governo deporta assim tantas pessoas. Mas isso é pouco em comparação com o que aconteceu na Vila da esperança. Segundo as crianças da casa do orfanato das crianças em Azrou, estão na mesma trilha e espera-se que a equipe de funcionários de lá também será mandada para fora do país. Mas talvez não. Vamos esperar e ver o que acontecerá. Toda minha análise das tendências políticas neste país provou ser errada. Mas eu não estou sozinho. Ninguém compreende o que está acontecendo. Esta é uma onda nova que varre através de Marrocos. O rei designou em janeiro novos ministros para o interior e para a justiça e parece que estes homens estão dirigindo a campanha e a campanha parece puxar o Marrocos para longe da aberturas e da liberdade e transformá-lo em um estado mais islâmico. Que o senhor tenha misericórdia deles. É óbvio que vamos orar sobre isso. Os pais e as crianças estão no alto da lista. Orem também para aqueles que são deportados. E, por favor, orem por mim. Nós não temos nenhuma idéia de quem serão os seguintes ou quem mais está na lista. Eu sou incapaz de compreender porque Deus permitiria que isso acontecesse, mas sei que sofrimentos assim tem ocorrido no mundo diariamente, e muito pior do que estes, e eu tampouco compreendo. Este sofrimento está mais perto de casa e é por isso que lamentamos tanto. Para aqueles de vocês que podem ler francês, está aqui o relatório oficial que saiu da associação Marroquina de imprensa.
Estou certo que eu o estarei atualizando no futuro próximo. Que Deus seja com nós todos. Jack
********************************************************
Estrangeiros são expulsos do Marrocos por atos contrários à legislação em vigor (imprensa)Rabat, 08/03/10 - As autoridades marroquinas vem executando recentemente, as ordens de expulsão do território nacional contra os estrangeiros de várias nacionalidades, que são culpados de atos contrários às leis em vigor.
Entre os deportados estão 16 pessoas, entre lideranças e moradores de um orfanato localizado na cidade de Ain Leuh (província de Ifrane), disse segunda-feira um comunicado de imprensa do Ministério do Interior, indicando que as partes se aproveitavam da indigência de algumas famílias e de menores abandonados para se beneficiar financeiramente, em violação dos procedimentos relativos às crianças abandonadas ou órfãs.
Sob o pretexto de atividades benevolentes, este grupo também estava envolvido em atividades de proselitismo dirigidas às crianças jovens, não mais de dez anos, acrescenta a mesma fonte, salientando que, como parte do inquérito ordenado pelo gabinete do procurador, centenas de folhetos e CDs proselitistas foram apreendidos.
As medidas tomadas pelas autoridades marroquinas são parte da luta contra as tentativas de espalhar a crença de evangelistas para abalar a fé dos muçulmanos.
O departamento, por outro lado, salientou que as expulsões do país foram tomadas de acordo com a legislação em vigor para a preservação dos valores religiosos e espirituais do Reino.

Fonte: http://www.map.ma/fr/sections/general/des_ressortissants_e/view%20


segunda-feira, 8 de março de 2010

TESTEMUNHO CRISTÃO

Texto Completo: At 1.8; 2.1-4; 4.32,33
Texto Básico: Mt 5.13-16

INTRODUÇÃO
“O cristão é cidadão de dois mundos – o reino de Deus e o Estado político - e deve obedecer à lei de sua pátria terrena, tanto quanto à lei suprema. No caso de ser necessária uma escolha, o cristão deve obedecer a Deus antes que ao homem” (MBBN pág. 18).
O ensino bíblico para o crente, em seu testemunho cristão, chega a colocá-lo como alguém que se entrega integralmente a Cristo, para viver ou morrer, como afirmou Paulo: “E assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus” (2 Co 4.11).

I- O TESTEMUNHO DO CRISTÃO NA IGREJA
Pode parecer difícil ser bom crente na Igreja, mas não é. O crente vive num meio de pessoas piedosas e que facilmente confiam nas outras pessoas. Também, se a outra pessoa for hipócrita, não é problema nosso, mas dela com Deus.
1. O cristão deve fazer-se presente nas reuniões da Igreja. Nenhum servo do Senhor poderá ser abençoado no seu testemunho, se estiver sempre ausente. Presente às reuniões, ele estará na hora em que as grandes coisas vão acontecer. E só Deus sabe de antemão em que momento será. (Até o arrebatamento da Igreja será assim!) Jesus subiu ao céu na presença de quinhentos irmãos, pelo menos é o que podemos inferir de 1 Co 15.6, pois foi a reunião em que havia maior número de crentes, depois de sua ressurreição. Ele deixou a ordem para que ficassem em Jerusalém até serem revestidos do poder (At 1.4,5, citando Lc 24.49). Mas só 120 estavam no momento do Pentecostes. Os outros ausentes, perderam essa bênção. Que pena!
2. O cristão deve participar ativamente dos trabalhos da Igreja. O crente deve olhar para a oportunidade de trabalhar na igreja como uma oportunidade para crescer espiritualmente. Cresce mais quem trabalha mais. Assim é no mundo físico e espiritual. O atleta que mais se exercita será mais indicado para obter a vitória, pois seu preparo será melhor. Na vida espiritual, será vencedor o crente que mais exercitar a sua fé. E isso só é possível no serviço da Igreja. Jesus deu exemplo de trabalho (Jo 5.17) e deu ordem para trabalharmos (Jo 6.27). Paulo mandou trabalhar (Ef 4.28) e disse que quem não quiser trabalhar não deve comer (2 Ts 3.10). Não estamos falando de cargos. O crente nunca deve trabalhar só quando tem cargo; mas deve trabalhar sempre e voluntariamente.
3. O cristão deve observar com fé, as obras que Deus faz.
Muitas vezes acontece, ao sair de uma reunião onde a bênção de Deus foi abundante, ouvir-se alguém dizer: “Eu não vi nada! Não senti nada!” É lamentável isso. Ele estava presente, todos foram ricamente abençoados, mas ele estava cego, sem qualquer tipo de fé, pelo que nada viu e nada sentiu. Logo, não basta estar presente. É necessário olhar com fé. Sem fé não se pode agradar a Deus (Hb 11.6). Ver o que acontece é também uma forma de testemunhar. E quem não vê o que Deus faz não pode falar com autoridade. Vejam as palavras de Pedro e João: “Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido” (At 4.20). Sejamos assim


II- O TESTEMUNHO DO CRISTÃO NA SOCIEDADE
Dissemos acima que não é difícil ser bom crente na Igreja. Na sociedade, também não é muito difícil. Basta declararmos logo o que somos. Se ocultarmos nossa identidade, aí sim, será muito penoso.

1. É preciso viver de conformidade com os ensinos de Cristo. A primeira coisa que o crente precisa é viver segundo Cristo. Falar sem viver terá o efeito do sino que toca, mas nada diz em seu sonido (1 Co 13.1). Pedro negou a Jesus em suas palavras e ninguém diz que ele agiu bem. Mas uma coisa é verdade: O seu testemunho o desmentia. Todos que olhavam para ele diziam ser ele um dos discípulos de Jesus. Se fosse o contrário não seria pior? Se ele dissesse ser discípulo e todos olhassem e vissem não ser isso verdade? Pois é exatamente o que acontece com quem prega, mas dá mau testemunho.
2. É preciso falar a respeito de Cristo, mas falar a verdade. Podemos falar de Jesus e de suas obras a vida inteira, sem repetir e nunca iremos esgotar o assunto. Mas há pessoas que dizem mentiras em nome de Jesus. Exemplo: Afirmam que Jesus curou, citando fatos que nunca aconteceram. Afirmam que Jesus fez tal maravilha, sendo que tal não aconteceu. Para que isso? Às vezes, para tomarem a glória para si, dizendo: “Eu orei e Jesus fez isso...” A glória aí não é para Jesus, mas para o “EU”. Podemos falar de Jesus, mas devemos falar a verdade apenas, como João, que “não fez sinal, mas tudo quanto disse deste (Jesus) era verdade. E muitos ali creram nele” (Jo 10.41,42).
3. É preciso falar do que conhecemos: pelo estudo, pela observação do que vemos Deus operar em nosso meio, pela experiência pessoal. Falar de uma experiência é agradável, porque é coisa confirmada na prática. O ouvinte sente que o mesmo pode acontecer com ele. E cada experiência é diferente de todas as outras. Além disso, ninguém se esquece de uma história que ouviu alguém contar.

III- O TESTEMUNHO CRISTÃO NO LAR
Este o lugar mais difícil para o cristão dar o seu testemunho. No lar todos conhecem suas fraquezas, existem os conflitos normais da convivência familiar, que enfraquecem o testemunho. Isso, porém, não nos deve desanimar. A graça divina compensa nossas fraquezas.

1. Atritos familiares fazem parte do dia a dia do lar. Se houver um atrito no lar e o crente se sentir derrotado, então estará derrotado, mas sem necessidade. Cada pessoa tem temperamento e personalidade diferentes das demais. Logo, a convivência dessas pessoas deve gerar atritos. Nada mais do que normal. O que o cristão precisa é praticar os ensinos bíblicos sobre o perdão, deve cultivar a humildade para reconhecer os próprios erros e exercitar a prática da confissão e da reconciliação. A Bíblia diz: “Irai-vos e não pequeis” (Sl 4.4); “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira” (Ef 4.26). Então podemos até ficar irados, mas fugir de pecar, pela reconciliação antes do pôr-do-sol, ou seja, nunca deixar a reconciliação para o dia seguinte.
2. No lar, a vida fala mais alto que as palavras. É verdade que em todo lugar a vida do crente fala mais alto do que suas palavras. Mas no lar isso é muito mais verdade. Por exemplo: Todos em casa criticam o crente. Mas, quando estão todos em desespero, pedem ao crente que faça uma oração, que peça à Igreja e ao pastor para orar, porque, na realidade todos na casa sabem que aquele que é crente, mesmo com suas fraquezas, tem uma íntima comunhão com Deus. Quanto às dificuldades da convivência no lar, diz a Bíblia: “... os inimigos do homem são os da sua própria casa” (Mq 7.6b). E as bênçãos na vida do crente são para sua casa: At 16.31.
3. É preciso orar e pedir a Deus o cumprimento de suas promessas aos lares dos cristãos. Citemos o exemplo de Neemias: Quando ele se viu diante da tristeza pelas noticias da miséria em que viviam os judeus, ele orou pedindo a Deus o cumprimento de suas promessas (Ne 1.5-11), confessando os pecados de todo o povo, como autêntico sacerdote. Nós somos sacerdotes de nossa família também. Quando pedimos em oração o que é da vontade de Deus, é claro que Ele nos atende: “... se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve” (1 Jo 5.14).


APLICAÇÕES

1. Como cristãos, somos cidadãos de dois mundos: material e espiritual. Devemos ser fiéis a ambos, mas primeiro ao reino do céu.
2. Como cristãos, à semelhança de Cristo, devemos entregar nossas vidas a Deus incondicionalmente, como sendo entregues à morte por amor a Cristo.
3. Devemos testemunhar de Cristo em todos os lugares, sabendo que nossas fraquezas não são impedimento ao testemunho. Com fé e coragem, obteremos confirmação de Deus.
Pr.Waltensir L.Silva
*******************************************************************
As fotos que aparecem nessa lição são de famílias que representam exemplos de testemunho cristão a serem seguidos. São famílias que atuam no campo missionário e que abdicaram de tudo que muitas pessoas entendem como necessárias e primordiais para se ter uma vida plena de realizações.
Para eles o mais importante é transmitir a mensagem de Salvação, anunciando a Jesus Cristo como Único Senhor e Salvador de nossas almas.
Vidas têm sido alcançadas através do exemplo de dedicação e amor demonstrado por todos eles.
Que o Senhor continue abençoando a cada um de uma forma especial em seus ministérios.
Pela ordem as fotos dos amados irmãos são:
1) Henrique Adas;
2) César e Kívia;
3) Carlos e Ana;e
4) Pr Fernando e família.
Sigamos o exemplo de homens e mulheres como os amados irmãos. Muitos outros irmãos que atuam no campo missionário serão lembrados ao longo de nossas postagens e o mais importante: Não deixemos de orar em favor da vida e da obra que a cada um foi outorgada pelo Senhor.
Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos